O que é bullying: implicações importantes no ambiente escolar

O que é bullying: implicações importantes no ambiente escolar

Você sabe o que é bullying e quais são as principais e mais importantes implicações da prática em ambientes escolares? E mais, sabe quais consequências ele pode causar, bem como abordagens para resolver o problema dentro da escola?

Ainda tratado com certo desdém no país, cerca de 43% das crianças e dos adolescentes em fase escolar já sofreram ou sofrem com o bullying. E, muito além de brincadeiras de mau gosto, tal prática pode provocar ações trágicas e irreversíveis.

Para evitar tais ocorrências, é fundamental que o pedagogo, professor ou gestor saiba como reconhecer e cuidar do problema.

Neste artigo, vamos mostrar o que é bullying, suas implicações em ambientes escolares e como resolver esse problema.

Entenda o que é bullying

Para começar, antes de entender suas implicações em ambientes escolares, é fundamental entender o que é o bullying.

O termo possui origem inglesa, formulado a partir de Bully “Valentão ou Brigão, e também “ing” que representa uma ação contínua.

Por definição, o bullying pode ser entendido como uma forma de violência a uma ou várias pessoas, de forma continuada. Essa violência se manifesta de diferentes formas, como humilhação, agressão, assédio, terror psicológico, desrespeito e medo constantes.

Ainda pode ser entendido como o comportamento de uma ou mais pessoas que realizam, de forma constante, formas de agressão a outras pessoas e que visam promover constrangimentos, humilhações e agressões a outras pessoas por parte de um ou mais agressores.

Quem está envolvido no bullying

Nas situações de bullying, costumam-se classificar 4 personagens envolvidos nas situações de agressão:

  • Agressor: Que pratica o bullying, pode ser mais de uma pessoa;
  • Vítima Agressora: A vítima passa a se tornar agressiva com outras pessoas, ela pratica bullying contra outros, mais vulneráveis, e que não estão diretamente envolvidos;
  • Vítima Típica: A vítima típica é aquela que sofre as agressões, humilhações, mas que não tenta revidar contra o agressor;
  • Vítima Provocadora: trata-se da vítima que tenta se defender ao revidar às agressões sofridas pelo praticante do bullying. No entanto, essa postura muitas vezes apenas piora o problema.

Leia também: O que é pedagogia: tudo sobre a disciplina

Tipos de bullying existentes

Do mesmo modo como existem personagens diferentes nas ocorrências de bullying (agressor e variedades de vítima), também existem diferentes tipos de bullying.

Que são formas ou situações ou condições específicas usadas pelo agressor para constranger, ferir e humilhar sua vítima. Esses tipos de bullying são:

  • Bullying Verbal: xingamentos, ofensas, piadas, gozações e apelidos pejorativos
  • Bullying Físico: agressões físicas como chutes, tapas, socos, beliscões; arremessar objetos na vítima; furtar, roubar ou destruir pertences da vítima
  • Bullying Psicológico: humilhar, chantagear, ameaçar, isolar e excluir, fazer intrigas, ridicularizar e todas as outras formas de agressão que afetam consciência, equilíbrio e bem-estar psicológico da vítima
  • Bullying Virtual ou Cyberbullying: é a prática do bullying que ocorre sem a necessidade de vítima e agressor estarem próximos.
  • Bullying Sexual: consiste nas práticas de agressão de cunho sexual, como os atos de abusar, insinuar, assediar e violentar.

Vale ressaltar, ainda, sobre os tipos de bullying que eles quase nunca acontecem de forma isolada. Ou seja, dificilmente existe apenas um tipo de bullying praticado pelo agressor.

Geralmente, é comum que praticantes de bullying cometam o tipo verbal, psicológico e físico simultaneamente.

Quais as principais implicações do bullying no ambiente escolar

Agora que você já sabe o que é bullying e seus tipos, também é importante saber suas principais implicações em ambientes escolares. Para isso, é importante considerar que a escola é um dos primeiros ambientes de interação social de crianças e jovens.

Ou seja, é onde muitas crianças e jovens começam a ter interação com outras pessoas além de seus familiares. É nesse ambiente em que se começa a ter ideias e consciência sobre como é a sociedade.

Então, as práticas de bullying podem provocar uma visão negativa para o aluno a respeito da sociedade, ele passará a enxergar o mundo como um lugar ruim, perigoso e verá a criança como alguém inferior.

O sofrimento físico, mental, psicológico e emocional causado pelo bullying, pode fazer a vítima se tornar retraída. Muitas vítimas acabam se isolando socialmente devido ao sofrimento causado pelos agressores.

No entanto, os abusos sofridos podem provocar revolta na vítima com o tempo. Isso poderá fazer com que a vítima passe a buscar se vingar do sofrimento promovido pelos agressores, das humilhações em sala de aula. Muitos tentam suprir o sofrimento ao se viciar em drogas e bebidas alcóolicas.

Mais a frente, esse sentimento de revolta gerado pelo bullying pode gerar jovens tão violentos e desequilibrados que podem provocar tragédias. Sejam essas para o aluno, como o suícidio, como para os agressores, por meio de ataques de vingança.

Os massacres em Realengo, Columbine, Suzano e do Colégio Goyases são exemplos das consequências mais graves do bullying em ambiente escolar.

Já agressores que praticam o bullying e não são coibidos na infância e adolescência em ambiente escolar tendem a adotar a violência como prática comum ao longo da vida.

Saiba mais: Gamificação na educação: o que é e como adotar ela na pedagogia

Como o bullying pode afetar o convívio escolar e o aprendizado de alunos

As vítimas do bullying frequentemente apresentam problemas para se concentrar nas aulas e aprender os conteúdos ensinados. O que, por consequência, gera notas ruins e problemas de aprendizagem para o estudante.

O convívio dos alunos que sofrem bullying nas escolas também é muito afetado. A vítima tende a evitar o contato com outras pessoas devido ao medo de sofrer abusos de novos agressores.

Como prevenir ou reduzir casos de bullying em ambientes escolares

Ações de conscientização das dores psicológicas e problemas no desenvolvimento do indivíduo são métodos para minimizar casos de bullying.

Essa conscientização pode e deve contar com a colaboração da família do estudante, independente se ele é vítima ou agressor. Mesmo quando não está envolvido com bullying – nem praticando, nem sofrendo – a conscientização é importante para prevenir casos de bullying.

A participação ativa da escola na prevenção e combate do bullying também é importante para prevenir casos. Nessa participação, além das ações conscientizadoras, também estão punições para agressores como suspensão escolar.

Gostou desse conteúdo e deseja saber mais sobre pedagogia, concursos pedagógicos e muito mais?

Então, assine nossa lista Vip no link abaixo e receba conteúdos exclusivos diretamente na sua caixa de entrada em primeira mão.

INSCREVA-SE GRÁTIS

Equipe Pedagogia para Concurso

Equipe Pedagogia para Concurso

INSCREVA-SE GRÁTIS

Scroll Up