Avaliação Escolar e suas implicações pedagógicas

A Avaliação Escolar é uma ferramenta essencial no processo de ensino-aprendizagem, atuando como um farol que ilumina o caminho da educação. Ela busca comparar o que foi adquirido com o que se pretende alcançar, servindo como um diagnóstico de como a escola e o professor estão contribuindo para o desenvolvimento dos alunos.

Imagine-a como uma ponte entre o ensino e a aprendizagem, permitindo aos professores verificar se o ensino que tem sido passado dia após dia está realmente sendo absorvido pelos estudantes. Além disso, ela é fundamental para os coordenadores da instituição fazerem análises dos resultados para posteriormente realizar planejamentos escolares futuros. Portanto, a Avaliação Escolar é mais do que apenas notas, é uma bússola que orienta a jornada educacional de cada aluno.


Por meio da avaliação os trabalhos podem ser acompanhados, sendo comparados aos objetivos propostos, averiguando progressos e dificuldades, orientando o trabalho docente para as correções necessárias.


Vejamos o que dizem os principais autores da pedagogia:


Avaliação é uma didática necessária e permanente do trabalho docente, que deve acompanhar passo a passo o processo de ensino e aprendizagem. (LIBÂNEO, 2017, p.301)


Saviani (2017, p.302) menciona que a avaliação segundo Luckesi é uma apreciação qualitativa sobre dados relevantes do processo de ensino e aprendizagem que auxilia o professor a tomar decisões sobre o seu trabalho.


A avaliação escolar serve também como reflexão sobre o grau de qualidade de todo o trabalho pedagógico tanto dos professores como dos alunos.


Não podemos esquecer que a avaliação é algo complexo, não se resume a aplicação de provas para atribuição de notas. A mensuração serve apenas para aquisição de dados que devem ser analisados a partir de uma perspectiva qualitativa.


Afinal, o que é Avaliação Escolar?


É um componente do processo de ensino e aprendizagem que busca comparar o que foi adquirido com o que se pretende alcançar.


Podemos dizer que a avaliação tem como objetivo diagnosticar como a escola e o professor estão contribuindo para o desenvolvimento dos alunos.


  • Avaliação processual: é a avaliação continua.
  • Avaliação pontual: é a avaliação de resultado.


Segundo Libâneo (2017) ao analisar os resultados obtidos, por meio da avaliação, percebe-se se os objetivos propostos foram alcançados para que o trabalho docente seja reorientado, logo a avaliação é uma reflexão do processo educativo que abrange aluno e professor. Os dados coletados são mensurados em quantitativos e qualitativos.


Avaliação quantitativa e qualitativa


  • Avaliação quantitativa: é o que pode ser mensurado por meio de nota e informações. Ela é classificatória.
  • Avaliação qualitativa: é o que não pode ser mensurável, observa-se o processo de ensino-aprendizagem de forma contínua e global.


Vamos ver o que a LDB 9.394/96 fala sobre a Avaliação Escolar?


Art. 24. V – a verificação do rendimento escolar observará os seguintes critérios:

a) avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre os de eventuais provas finais;


Perceba que os aspectos abordados na lei não são notas, mas registros de acompanhamento das atividades alunos. A avaliação contínua e cumulativa demonstra que ela é diária, transparente, assim possui uma aparência diagnóstica. Os aspectos qualitativos devem sobrepor os aspectos quantitativos.


Princípios da Avaliação Escolar:


  • Integralidade: a avaliação deve perceber o estudante como um todo, considerando todos os envolvidos no processo.
  • Funcionalidade: relaciona a avaliação aos objetivos educacionais.
  • Orientação: direciona a prática escolar. Ela não pode assumir um caráter excludente.
  • Sistematicidade: a avaliação deve ser muito bem planejada, integrando todo o trabalho educativo.


A avaliação é um processo contínuo, por isso deve ser projetada para acompanhar a aprendizagem, identificando as conquistas diante do desenvolvimento real do aluno. Uma avaliação inicial traz para o professor as características e o suporte necessário para que ele possa desenvolver o planejamento de acordo com as características de seus alunos.


Segue abaixo, as principais características da avaliação escolar conforme Libâneo:


  • Reflete a unidade objetivos-conteúdos-métodos;
  • Possibilita a revisão do plano de ensino;
  • Ajuda a desenvolver capacidades e habilidades;
  • Volta-se para a atividade dos alunos;
  • Deve ser objetiva;
  • Ajuda na percepção do professor;
  • Reflete valores e expectativas do professor em relação aos alunos.


Esse autor ainda nos traz como tarefas da avaliação a verificação, a qualificação e a apreciação qualitativa.


  • Verificação: coleta de dados por meio de provas, exercícios e tarefas ou outros meios auxiliares;
  • Qualificação: comprovação dos resultados alcançados e conforme o caso, atribuição de notas;
  • Apreciação Qualitativa: avaliação propriamente dita, referindo-se aos padrões de desempenho esperados.


Fique atendo, você tem que verificar cada conceito que envolve a avaliação. Cuidado para não confundir a teoria com a sua prática como docente.


Muita atenção nas funções da avaliação (que mudam de acordo com alguns autores) e que sempre caem nas provas. O conceito abaixo é um dos mais cobrados por nossas bancas examinadoras.


Funções da Avaliação Escolar


A avaliação apresenta três funções, sendo elas:


  • Função diagnóstica: é realizada no início do processo para direcionar o trabalho do professor. Nessa fase é estudado e levantado os conhecimentos prévios dos alunos para que o professor possa verificar como colocará em prática o seu planejamento, de forma a atender as características dos alunos.
  • Função formativa ou processual: é realizada durante o processo para acompanhar o desenvolvimento dos alunos. A função formativa proporciona ao professor e aos estudantes as informações necessárias para corrigir as possíveis falhas, estimulando todos a continuarem o trabalho. Nessa fase encontra-se o famoso feedback que reorienta os envolvidos em suas tarefas de forma positiva.
  • Função somativa (classificatória): é realizada no final do processo, classificando os alunos quanto ao nível de desenvolvimento. Esta fase oferece também as informações necessárias para o registro das atividades que foram desempenhadas pelos alunos.


Em resumo, segue simplificação da visão apresentada acima:


Avaliação Diagnóstica


  • Realiza-se no início do curso, do ano letivo, do semestre/trimestre, da unidade ou de um novo tema.
  • Verifica pré-requisitos.


Avaliação Formativa


  • Ocorre ao longo do ano letivo.
  • Localiza deficiências/dificuldades.


Avaliação Somativa


  • Classifica os alunos no fim de um semestre/trimestre, do curso, do ano letivo, segundo níveis de aproveitamento.
  • Tem a função Classificadora (classificação final).Avaliação escolar na visão dos principais autores.


Vejamos como alguns autores abordam sobre a avaliação:


O momento de avaliar é também para diagnosticar dificuldades e mostrar caminhos de superação. (ANDRADE 2014, p. 21).


Nenhuma avaliação dá resultados absolutos, mas informações sobre o que e como o aluno aprendeu. E a função da avaliação é diagnosticar o processo de aprendizagem, não a capacidade do aluno. (TAVARES, 2011, p. 108)


O processo de avaliação tem início quando: São levantados os conhecimentos prévios dos alunos. A partir disso é possível estabelecer objetivos e metas, escolher conteúdos e aplicar métodos. (SANTOS, 2011, p. 106)


Tendo um ponto de partida, a avaliação torna-se auxiliadora, quantitativamente e principalmente qualitativamente, do processo de ensino-aprendizagem em que progresso ou fracasso são importantes para se repensar as estratégias com vistas a auxiliar o desenvolvimento do aluno. (SANTOS, 2011, p. 106)


Assim sendo, a avaliar os alunos representa incluí-la no mundo do conhecimento. Assim caracteriza-se o tipo de avaliação que é preparada para ensinar, reforçar o processo de aprendizagem, e não apenas para atribuir notas, medindo o que foi memorizado. (ANDRADE 2014, p. 21).


Agora que já sabemos desses conceitos, vamos analisar as funções da avaliação escolar na perspectiva de José Carlos Libâneo que também é muito cobrado.


Libâneo classifica a avaliação em três funções:


Pedagógico-didática: está relacionada ao cumprimento dos objetivos educacionais. Essa avaliação ajuda na compreensão acerca do alcance dos objetivos educacionais.


Diagnóstica: apresenta os avanços e os problemas dos alunos junto com a atuação do professor.


Ocorre em três fases:


  • Início: para sondar os conhecimentos.
  • Durante: para acompanhar o desenvolvimento dos professores e alunos.
  • Final: para verificar o resultado do trabalho desenvolvido.


Com essas informações o professor poderá propor modificações durante o processo de ensino e aprendizagem.


Controle: está relacionada aos meios e a frequência das verificações e de qualificação dos resultados escolares, permitindo o diagnóstico das situações didáticas.


Essas três funções atuam de forma interdependentes, não podendo ser isoladas!


Outros conceitos da Avaliação Escolar


Vamos conhecer um pouquinho mais sobre alguns fatores que envolvem a avaliação escolar e que não foram conceituados:


A observação: é muito importante durante o acompanhamento dos alunos. Com ela o professor pode modificar as dificuldades identificadas que influenciam a aprendizagem dos estudantes.


A entrevista: ajuda e busca conhecer o aluno em seu desempenho escolar. Contribui com as informações que o professor já tem, tratando assim problemas mais específicos, esclarecendo dúvidas quanto às atitudes e hábitos de determinada criança.


Existem também outras formas de avaliação que já caíram em concursos, vamos conhecer um pouquinho mais:


  • Avaliação informal: faz parte do processo desenvolvido pelo professor que consiste em elogios, castigos, ameaças entre outros aspectos em que o educador traça sobre o perfil do aluno durante o processo de ensino. Para Freitas, esse tipo de avaliação consiste na construção, pelo professor, “de juízos gerais sobre o aluno, cujo processo de constituição está encoberto e é aparentemente assistemático”.
  • Avaliação formal: é formada por instrumentos específicos de avaliação como provas, trabalhos e tarefas organizadas. Compõe-se das práticas “que envolvem o uso de instrumentos explícitos de avaliação, cujos resultados podem ser examinados objetivamente pelo aluno, à luz de um procedimento claro” (Freitas).


O papel da Avaliação na prática escolar


Que tal lembrarmos o papel da avaliação que está presente em cada prática pedagógica? Vamos para elas:


  • Função da avaliação tradicional: é exercida de forma classificatória com memorização e reprodução através de provas e exercícios.
  • Avaliação – escola nova: há a valorização dos aspectos afetivos. A auto avaliação está presente priorizando o desenvolvimento individual do aluno.
  • Avaliação – tecnicista: é analisada através do comportamento desejado. Há o apego aos livros didáticos, a produtividade do aluno com exercícios programados.
  • Avaliação – libertária: não há uma avaliação dos conteúdos.
  • Avaliação – libertadora: busca a emancipação do grupo.
  • Avaliação – histórico-crítica: existe a tomada de decisão para a transformação da sociedade. Função diagnóstica.


É isso, espero que tenha entendido tudo sobre a avaliação escolar e que você possa estar mais bem preparado para as provas de concursos que estão por vim.

avatar

Sara Moreira

em 11/04/2024 às 16:56

ESTUDE COM A MELHOR PLATAFORMA DE ESTUDOS PARA CONCURSOS DA CARREIRA EDUCACIONAL DO BRASIL

Acesse videoaulas e PDFs dos melhores professores e tenha a preparação certa para a sua aprovação!

Menos de R$ 2,59 por dia

logo

Já segue o Pedagogia para Concurso nas redes sociais?

SIA Quadra 5C AE 24A/24B Entrada 273

Salas 204 a 209 - Guará / CEP 71200-055

Brasília - DF

© 2018 - 2023 Pedagogia para Concurso. Todos os direitos reservados | Criado por Web Desenvolve - MKT Digital